Educação Previdenciária de Qualidade

Como Contribuir para o INSS

Veja como pagar o INSS como autônomo ou Facultativo

Como contribuir para o INSS é a dúvida de muitos trabalhadores autônomos. Muitos, Por já terem trabalhado de carteira-assinada para alguém, nunca precisaram preocupar-se com essa questão.

Mas se agora você quer contribuir para o INSS e não sabe como, vamos lhe mostrar neste artigo o que fazer e quando você poderá pagar para enfim se tornar um contribuinte regular do INSS.

Como Contribuir para o INSS: Veja as Dicas!

Muitos profissionais autônomos não sabem como pagar o INSS devido ao costume de ter trabalhado de Carteira de Trabalho assinada. Claro, isso não pode ser colocado como desculpa para não contribuir.

Trabalhadores autônomos, ou seja, que exercem atividades profissionais remuneradas por conta própria ou que prestam serviços para outras pessoas físicas precisam contribuir com o INSS.

Portanto, se você, autônomo, deseja ter algum tipo de aposentadoria em sua velhice é importante fazer uma inscrição no INSS como Contribuinte Individual e começar desde já.

Continue lendo. Abaixo daremos algumas informações para te orientar nos primeiros passos de como pagar o INSS como autônomo.

Pagar o INSS como Contribuinte Individual
GPS: Guia de Recolhimento da Previdência

Como Pagar o INSS como Autônomo (Contribuinte Individual)

Passo 1: Realize sua inscrição no PIS ou NIT.

Para seguir com esse passo é preciso que você já possua um cadastro no PIS ou NIT. Somente a partir desses registros que você será “identificado” como contribuinte do INSS podendo assim receber os benefícios sociais.

No entanto, pode ser que você nunca tenha trabalhado de carteira assinada. Neste caso, precisará realizar sua inscrição na condição de filiado na Previdência Social.

O cadastro não é difícil de ser feito. Obviamente, é preciso ter a idade mínima de 16 anos para concluir este processo informando a atividade exercida e a opção de Contribuinte Individual.

Há três formas de realizar o cadastro no PIS ou NIT. Utilize uma dessas plataformas para realizar o ato:

Não há necessidade de envio da prévia dos documento para o site, nem a nenhum funcionário da Previdência Social. Somente confirme seus dados pessoais de forma correta.

Para os que desconhecem a importância do termo, o PIS (Programa de Integração Social), é necessário para que as contribuições sociais do trabalhador sejam recolhidas pelo empregador.

Se você já possui, siga para o próximo passo.

Passo 2: Escolha o seu tipo de contribuição

Se você chegou a esta etapa acredita-se que já possua o cadastro do PIS. Sendo assim, agora será necessário escolher a sua categoria de contribuição. Como já dito, autônomos se enquadram como “Contribuinte Individual”.

Existem várias formas de contribuição e cada uma recebe códigos diferentes para o pagamento. Esses códigos são preenchidos na Guia da Previdência Social (GPS).

Obviamente, cada forma de contribuição varia conforme a quantia paga, assim como os direitos acessados após a aposentadoria. Vejam abaixo as diferenças entre os principais tipos de contribuição:

  • Contribuinte Individual com recolhimento trimestral (Cód. 1180): Esse código não garante o direito de se aposentar por tempo de contribuição, apenas dá a possibilidade de se aposentar por idade. Alíquota também é de 11% ao mês, porém o recolhimento ao INSS é realizado a cada três meses. O valor do recolhimento está restrito ao salário mínimo.

 

  • Contribuinte Individual com recolhimento mensal (Cód. 1007): É o código comum a todos os brasileiros. Ele concede o direito de aposentadoria tanto por idade quanto por tempo de contribuição. A alíquota é de 20% de seu salário-mínimo ou renda mensal. Esse pagamento garante um valor de até no máximo de aposentadoria.

 

  • Contribuinte Individual Rural com recolhimento mensal (Cód. 1287): Código destinado a trabalhadores rurais autônomos. A contribuição ao INSS tem alíquota de 20% sobre o salário-de-contribuição e a partir do mesmo é possível se aposentar-se por idade ou tempo de contribuição.

 

  • Contribuinte Individual com recolhimento mensal (Cód. 1163): Com a alíquota de apenas 11% do salário sobre o salário mínimo vigente este é o recolhimento menos oneroso, porém só o direito a aposentadoria por idade.

 

  • Contribuinte Individual com recolhimento trimestral (Cód. 1104): Com características parecidas as do código 1007, esta contribuição também garante o direito de aposentadoria por idade e por tempo de contribuição. Contudo, a diferença está na alíquota de 20% do salário-mínimo ou renda trimestral.

Passo 3: Preencha o GPS.

Como último passo é preciso preencher de forma correta o Guia da Previdência Social (GPS) e assim realizar o pagamento das guias de contribuição. O GPS pode ser feito no site da Previdência Social.

Toda informação preenchida no GPS é imprescindível que esteja correta em cada um de seus campos obrigatórios. Isso garantirá que o seu pagamento seja identificado e efetuado corretamente de acordo com sua contribuição.

Portanto, evite erros. Números errados do código de contribuição, por exemplo, pode trazer problemas no futuro e você pode acabar recebendo menos do que efetivamente contribuiu ao longo dos anos.

Veja agora como preencher a guia de GPS corretamente no site da Previdência Social:

  • Acesse Previdência Social;
  • Indique o seu tipo de contribuição;
  • Digite o seu número de cadastro no INSS (PIS OU NIT). Verificando sempre se os dados digitados estão corretos, em especial os números.
  • Logo após você será redirecionado ao Guia da Previdência Social. Novos campos precisarão ser preenchidos. São eles: Salário de contribuição, competência, dados e código do pagamento.
  • Termine preenchendo o seu tipo de contribuição (código), assim como a data do pagamento do carnê. Agora basta imprimir sua Guia.

Importante: No campo de competência, é preciso informar o mês referente à contribuição. Exemplo, 02/2018 (fevereiro de 2018). Enquanto, no espaço de salário de contribuição é necessário digitar a renda mensal. Dessa forma, a alíquota de sua contribuição será calculada.

Caso não tenha acesso a internet ou uma impressora saiba que a guia de GPS pode ser comprada em papelarias ou mesmo em bancas de jornal. Normalmente, o valor não passa de R$6,00.

A atenção com os dados informados deve ser mantida de forma semelhante à forma ensinada anteriormente. Lembrem-se, essas informações serão utilizadas para que o pagamento seja efetuado.

Por fim, recomenda-se que seus carnês de contribuição sejam guardados, eles são a prova de que você contribuiu corretamente naquele período.

Contribuindo com o INSS você evitará chegar em uma idade avançada e ter que fazer o requerimento de uma aposentadoria para quem nunca contribuiu. Por isso, o melhor é contribuir.

Para maiores informações sobre como contribuir com o INSS, veja o vídeo abaixo.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.