Como calcular o seguro desemprego? Aprenda aqui!

Se você está querendo aprender a fazer o cálculo do seguro-desemprego, veja aqui todas as informações necessárias para saber exatamente quanto você vai receber no seu benefício

0

O Brasil vive um momento de bastante instabilidade econômica e, com isso, milhares de cidadãos já foram atingidos pela onda do desemprego.

Frente a esse cenário tão aterrorizador, a opção mesmo é recorrer à assistência temporária concedida pelo governo. E, para isso, é essencial saber como calcular o seguro desemprego.

Isso porque, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a situação de desemprego no país é alarmante. E de acordo com pesquisa publicada, só no primeiro trimestre de 2019 a taxa de desocupação aumentou para 12,7%.

Ou seja, hoje já são mais de 13,4 milhões de pessoas em busca de uma recolocação no mercado de trabalho.

Logo, se você infelizmente já faz parte dessa estatística, saiba que pode recorrer ao benefício do seguro desemprego.

Contudo, para se planejar melhor, ensinamos você também a calcular esses valores. Então fique conosco e aprenda a seguir!

Calcular seguro desemprego
Infelizmente o desemprego tem crescido cada vez mais no Brasil

O que é o seguro desemprego e quem tem direito ao benefício?

Antes de aprender como calcular o seguro desemprego, vamos entender melhor o amparo legal desse auxílio. Afinal, não é todo trabalhador que faz jus ao benefício.

Assim, conforme a Lei 13.134, em alteração a Lei n°7.998, o programa de seguro-desemprego é uma assistência temporária concedida pelo governo.

Possui como base de recurso o Fundo de Amparo ao Trabalhador, que é vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego.

Logo, o seguro tem como finalidade garantir assistência financeira ao trabalhador desempregado que atenda as seguintes condições:

  • Ter sido dispensado de suas atividades laborais sem justa causa;
  • Ser comprovadamente resgatado de regime de trabalho forçado ou condição análoga à de escravo;
  • Se pescador artesanal, estar no período de proibição de atividade pesqueira para preservação da espécie;
  • Ter cumprido o tempo mínimo de carteira assinada exigido para a solicitação;
  • Não gozar de outros benefícios previdenciários, exceto o auxílio-acidente e/ou pensão por morte;
  • Não possuir renda própria suficiente para a manutenção própria e/ou familiar; e
  • Não ter participação nos lucros da empresa que o demitiu.

Dito o acima, é preciso ainda reforçar que essa assistência cabe apenas aos trabalhadores formais. Ou seja, aqueles que possuam carteira assinada e/ou são contribuintes do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

Já em relação ao tempo de carteira exigido, é requerido que o trabalhador tenha exercido função por, no mínimo:

  • 12 meses de trabalho para requerer pela primeira vez o auxílio;
  • 9 meses de trabalho para requerer pela segunda vez o auxílio; ou
  • 6 meses de trabalho para requerer pela terceira ou demais vezes o auxílio.
calculo do seguro desemprego
O cálculo do seguro-desemprego é realizado com a média das últimas remunerações do trabalhador

Como calcular o seguro desemprego?

Após entender como funciona o programa em si, chegou a hora de aprender como calcular o seguro desemprego.

Para tal, você deverá fazer a média dos últimos três vencimentos recebidos antes da demissão.

Ou seja, se você recebeu nos últimos 3 meses os valores de R$2000,00, R$1900,00 e R$1600,00, a sua média salarial nesse período será de R$1833,33.

Sabendo isso, de acordo com o Ministério da Economia, você deverá considerar o seguinte:

  • Para uma média salarial de até R$1531,02, o trabalhador terá direito ao valor de 80% dos seus ganhos;
  • Para uma média salarial entre R$1531,03 até R$2591,66, o trabalhador terá direito ao valor de R$1224,82 somados a 50% do que exceder R$1531,03; e
  • Para uma média salarial superior a R$2591,66, o trabalhador terá direito ao valor fixo de R$1735,29.

Logo, dado o exemplo acima, para calcular o seguro desemprego você deve proceder da seguinte forma:

1º Encontrar a diferença entre a sua média salarial e o valor de R$1531,03:

R$1833,33 – 1531,03 = R$302,30

2º Dividir o valor anteriormente encontrado por 2:

R$302,30 ÷ 2= R$151,15

3º Somar o valor de R$1224,82 ao valor encontrado anteriormente:

R$1224,82 + 151,15 = R$1375,97

Como resultado, o valor final a ser recebido será de R$1357,97.

Trabalhadores que se enquadrem na categoria de pesca, trabalho doméstico e resgatados terão direto ao valor de 1 (um) salário mínimo.

Também é válido lembrar que o valor do benefício nunca será menor do que o salário mínimo vigente.

Assim, caso a média salarial desse trabalhador seja inferior ao estipulado, o mesmo receberá o valor do salário mínimo impreterivelmente.

Veja também:

Aposentado tem direito ao Seguro Desemprego?

Quantas parcelas são pagas do benefício?

O tempo máximo de recebimento do seguro desemprego é de até 5 meses. Porém, o que se é lavado em consideração é o tempo de serviço prestado naquela empresa.

Dessa forma, o trabalhador que requer o auxílio pela primeira vez receberá:

  • 4 Parcelas: desde que trabalhado no mínimo 12 meses e no máximo 23 meses para a empresa; e
  • 5 Parcelas: desde que trabalhado acima de 24 meses para a empresa.

Já o trabalhador que requer o auxílio pela segunda vez fará jus:

  • 3 Parcelas: desde que trabalhado no mínimo 9 meses e no máximo 11 meses para a empresa;
  • 4 Parcelas: desde que trabalhado no mínimo 12 e no máximo 23 meses para a empresa;
  • 5 Parcelas: desde que trabalhado acima de 24 meses para a empresa.

E, finalmente, para quem requer o auxílio pela terceira vez ou mais:

  • 3 Parcelas: desde que trabalhado no mínimo 6 meses e no máximo 11 meses para a empresa;
  • 4 Parcelas: desde que trabalhado no mínimo 12 e no máximo 23 meses para a empresa;
  • 5 Parcelas: desde que trabalhado acima de 24 meses para a empresa.

Para o recebimento do benefício, o requerente deve possuir uma conta corrente ou poupança na Caixa Econômica Federal, ou poderá utilizar o cartão cidadão.

Ainda, o valor concedido não poderá ser sacado em lotéricas, caixas eletrônicos ou demais agências, sendo essa uma medida para evitar fraudes.

Como consultar habilitação do seguro desemprego?

Após ter certeza que atende todos os pré-requisitos, o requerente deverá agendar então o atendimento em algum posto credenciado pelo Ministério do Trabalho.

Feito isso, poderá consultar a habilitação do seguro pelo site da Caixa. É só preencher o número do PIS/PASEP e a senha fornecida anteriormente no atendimento. A utilização do sistema é gratuita e de fácil manuseio.

E, finalmente, agora que você já sabe como calcular o seguro desemprego, faça seu planejamento financeiro e vá à luta! A equipe do Previdência Simples deseja a você boa sorte!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência de navegação. AceitarMais Informações