Educação Previdenciária de Qualidade

Dar Baixa em Benefício do INSS quando o Aposentado Morre

Saiba o que fazer em caso de Morte de Aposentado ou Pensionista do INSS

Quando um Aposentado morre, tem que dar baixa no INSS? Essa é uma dúvida muito comum entre os familiares e amigos de aposentados e pensionistas do INSS que faleceram.

Talvez você não saiba, mas se um familiar seu que era aposentado ou pensionista do INSS falecer, deve haver imediata comunicação da morte ao INSS.

Isso por que se o beneficiário faleceu, não tem mais motivos para estar recebendo a aposentadoria. Concorda?

Os riscos para quem não avisa são imensos.

Por isso, vamos por meio deste texto te informar o que deve ser feito, para você não sofrer nenhuma punição ou ser acusado de um crime de forma indevida.

Continua com a gente até o final para entender como funciona.

O que fazer Para dar Baixa no Benefício

Cancelar Aposentadoria Por Morte

Você DEVE requerer o cancelamento da aposentadoria após morte do beneficiário.

Veja que não é uma opção, é um dever.

A comunicação ao INSS deve ser imediata.

E como eu faço?

É muito simples.

Basta você ligar no número 135 ou comparecer pessoalmente a uma Agência do INSS.

Você deve estar com a Certidão de Óbito em mãos, e apresentar ao servidor que te atender.

Deverá também apresentar um documento oficial do falecido.

Receber Aposentadoria de Falecido: Consequências

Uma das coisas que você não deve fazer em hipótese alguma é continuar recebendo o benefício pela pessoa que faleceu.

Pois é crime.

Além de correr o risco de pagar uma multa, terá que devolver o valor que  recebeu de forma corrigida.

Se você que está lendo este texto tomou conhecimento que isso é errado somente agora, providencie para amanhã a documentação do falecido, Certidão de Óbito e Documento Oficial, e leve ao INSS.

 

É Crime Receber o Benefício Após o Falecimento do Aposentado?

Isso mesmo.

Se você recebe benefício de alguém que já faleceu pratica o crime de Estelionato, que vem prescrito no artigo 171 do Código Penal Brasileiro.

A pena para esse crime varia de um a cinco anos de reclusão.

E como falamos, ainda pode recair sobre você uma multa e a cobrança de todos os valores que você recebeu de forma indevida.

Casos em que a Pessoa Tem Direito à Pensão Por Morte

Mesmo sendo dependente, o óbito deverá ser comunicado à Previdência Social.

Então, o dependente deve tomar as mesmas medidas informadas acima.

Informar pelo 135 ou pessoalmente em uma agência do INSS, onde deverá levar a documentação do falecido.

Quem pode ser dependente?

  • Esposa ou esposo
  • Companheiro ou companheira
  • Filhos menores ou inválidos

Para saber como fazer o requerimento da Pensão para os filhos, veja aqui este artigo.

Após a comunicação de falecimento do aposentado, poderá ser feito o requerimento de Pensão por Morte por parte do dependente.

A pensão por morte é um benefício pagos aos DEPENDENTES do segurado, conforme discriminado acima.

Como o falecido já era beneficiário, já preenchia a qualidade de segurado necessária para a concessão da pensão por morte.

Sua duração varia de acordo com a quantidade de contribuições do falecido, entre outros fatores.

Se você quer saber como preencher a Declaração de Dependentes, clique aqui.

É importante você saber que, se for dar entrada na pensão, não pode ser recebido nenhum pagamento após a morte da pessoa que era aposentada.

Se porventura a Pessoa que faleceu deixou de receber algum valor, este será pago ao dependente devidamente habilitado na pensão por morte após a concessão deste benefício.

O que fazer se o Aposentado Morreu sem Receber a Aposentadoria?

Pode acontecer do aposentado falecer antes de receber o seu benefício e o décimo terceiro salário integral ou proporcional.

Por exemplo: o aposentado faleceu no dia 29 de setembro, e a sua aposentadoria caiu no dia 30. O que fazer nestes casos? O dinheiro fica para o INSS?

Nestes casos, os herdeiros ou sucessores poderão receber o valor desta aposentadoria através de um Alvará emitido pela Justiça Estadual.

Ou seja, os familiares não podem simplesmente usar o cartão do aposentado para receber esses valores no banco depois do falecimento dele.

Tem que ter uma autorização do Juiz informando ao INSS para quem deverá ser feito o pagamento.

Para entrar com o pedido de autorização jucial você vai precisar de um advogado, ou caso não tenha condições finaceiras, poderá procurar a Defensoria Pública da sua Cidade.

E como Ficam os Outros Benefícios do INSS em Caso de Morte?

Embora aqui estejamos nos concentrando na Aposentadoria, é importante destacar que nenhum benefício do INSS poderá ser recebido após o falecimento do seu titular.

Então todas as informações discutidas aqui valem também para os demais benefícios do INSS, como por exemplo:

Ou seja, qualquer espécie de benefício pago pelo INSS, o familiar deverá providenciar a emissão da Certidão de óbito para que possa dar baixa no benefício do INSS.

Não receba Benefício após o óbito do aposentado

Cancelamento de Aposentadoria Por Morte: Últimas Considerações

Veja que o cancelamento da aposentadoria de um beneficiário que veio a óbito é muito importante, justamente para que os familiares não continuem recebendo o benefício de forma indevida.

O que pode implicar em uma série de prejuízos para aqueles que vierem a agir desta forma, podendo responder criminalmente, além de ter que ressarcir os valores sacados.

Se você se encontrar neste contexto, faça o que é correto.

Para maiores informações sobre dar baixa em benefício do INSS após o falecimento do titular, veja esse excelente vídeo compartilhado do Yutube:

você pode gostar também
9 Comentários
  1. Anônimo Diz

    Bom dia para dar baixa no benefício do INSS, porque eu passei no concurso público e agora eu vou trabalhar.

    1. benjamin
      benjamin Diz

      Ligue no 135.

  2. Verônica Diz

    Os cartórios é q devem informar ao INSS sobre a morte.

    1. benjamin
      benjamin Diz

      Verônica,

      Isto seria o certo. No entanto, muitos cartórios não informam ou o fazem depois de muito tempo do óbito, o que motiva o pagamento de benefício de forma irregular pelo INSS, desperdiçando o dinheiro público. Desta forma, o próprio familiar pode levar a Certidão de óbito ao INSS para evitar esse tipo de situação.

    2. Anônimo Diz

      Devia ser assim quando o aposentado falece deveria ter um acesso direto no sistema informando a morte ficando bloqueado.sem precisar que filhos de entrada no inss com certidão de óbito

  3. Anônimo Diz

    Se o falecido recebia seu beneficio no dia 30 e faleceu no dia 16. Nai terá nada a receber.?

  4. BBr Diz

    A legislação deveria ser modificada afim de não dificultar tanto a vida do herdeiro, ou seja, aquele familiar que não é dependente, mas receberá o resíduo(valor referente aos dias do mês do falecimento) do Benefício, esta é mais uma aberração do estado brasileiro contrato do cidadão. É claro que concordo que devam existir mecanismos contra fraudes e indivíduos desonestos, mas sem penalizar as pessoas de bem. Qualquer valor proporcional(resíduo) não cobrirá os honorários de um advogado particular para uma AÇÃO DE ALVARÁ JUDICIAL, nossa Defensoria Pública aliada ao Judiciário Brasileiro demanda em torno de 2 anos para despachar o bendito documento exigido pela nossa chamada Previdência “SOCIAL”. Quanta injustiça social, procure fazer esta peregrinação desta e entenderá o que de fato ocorre. Não sou candidato a nada, mas sim um indivíduo indignado, que presencia todos os dias histórias de quanto o ESTADO BRASILEIRO É INCOMPETENTE E PERVERSO COM SEUS CIDADÃOS.

  5. Adilson Diz

    E se o benefício foi depositado no dia primeiro, e o beneficiário faleceu dia 15, sem ter ido buscar o valor. Este também não deve ser sacado, visto que a pessoa estava viva na data do depósito?
    Desde já agradeço pela resposta!

    1. benjamin
      benjamin Diz

      Adilson,
      Só o próprio segurado poderia ter retirado o valor do banco. Com o falecimento dele, a família só pode receber através de uma autorização judicial. Se receber via cartão magnético com a senha do falecido, estará cometendo crime de estelionado previsto no art. 171 do código penal.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.