Educação Previdenciária de Qualidade

Quais profissões tem direito a Insalubridade e periculosidade?

Muita gente tem dúvida se a sua profissão se enquadra ou não para recebimento da insalubridade e da periculosidade. Se este também é o seu caso, continue a leitura e entenda a diferença entre estes dois termos e como saber se você tem ou não direito a essas prestações.

Os adicionais de insalubridade e periculosidade são valores extras pagos ao trabalhador para compensar os riscos de suas atividades profissionais.

As regras para o pagamento desse adicional são bastante específicas e podem gerar diversas dúvidas nos trabalhadores.

Você sabe quais profissões tem direito a insalubridade e periculosidade? Veja agora.

O que é insalubridade

A insalubridade está ligada à condição de trabalho do empregado.

Ela existe quando o trabalhador, nas suas atividades diárias, está exposto a condições que comprometem a sua saúde e seu bem-estar.

Atividades desenvolvidas com barulho fora do limite, calor, eletricidade são exemplos de condições insalubres.

A insalubridade dá direito a um adicional sobre o salário que varia de 10 a 40%, dependendo do grau de agressão da condição a que o trabalhador está exposto.

O que são atividades insalubres

As atividades insalubres estão listadas na Norma Regulamentadora 15 – NR15.

É importante lembrar que, para que seja configurada insalubridade, não basta que a pessoa esteja exposta as condições adversas de trabalho.

Essa exposição seja constante e acima do limite estabelecido por lei.

As atividades que dão direito a insalubridade são:

  • Trabalho com ruídos contínuos, intermitentes ou de impacto;
  • Trabalho com exposição ao calor, frio ou umidade;
  • Trabalho com exposição à radiação;
  • Trabalho com exposição a agentes químicos;
  • Trabalho com exposição à poeira de minerais;
  • Trabalho com exposição a agentes biológicos.
 periculosidade e insalubridade
Algumas profissões dão direito ao adicional de periculosidade e insalubridade

 

Quais profissões dão direito a insalubridade

A insalubridade não é determinada pela profissão, mas pela condição de trabalho de uma pessoa.

Assim, pode acontecer de duas pessoas que tem a mesma profissão em empresas diferentes e não terem o mesmo adicional de insalubridade.

Normalmente as profissões que possuem adicional de insalubridade são:

  • Eletricitários;
  • Técnicos de raio X;
  • Enfermeiros, médicos e demais profissionais da saúde;
  • Biólogos;
  • Químicos e técnicos;
  • Profissionais de indústrias metalúrgicas;
  • Soldadores;
  • Profissionais da construção civil;

O que é periculosidade

A periculosidade acontece quando o profissional, durante seu trabalho, expõe sua vida a riscos.

Diferentemente da insalubridade, que põe em risco a saúde física e mental do trabalhador, a periculosidade se define quando, pela própria atividade, existe risco de morte.

Atividades como a de seguranças, mineradores e trabalhadores que estão constantemente lidando com explosivos são consideradas perigosas.

A periculosidade gera direito ao adicional de 30% sobre o salário bruto, sem gratificações.

O que são atividades perigosas

As regras sobre a periculosidade estão listadas na Norma Regulamentadora 16 – NR16. De acordo com essa norma, são consideradas perigosas as seguintes atividades:

  • Operações com explosivos;
  • Operações com inflamáveis;
  • Operações com radiação ionizante ou substâncias radioativas;
  • Operações com exposição a roubo ou violência física;
  • Operações com energia elétrica;
  • Operações em motocicleta.

Quais profissões dão direito a periculosidade

Diferentemente da insalubridade, dificilmente um profissional de uma categoria que tem adicional de periculosidade deixará de receber este valor em outra empresa.

Isso porque a periculosidade não está ligada ao ambiente, mas a própria profissão do trabalhador;

Algumas das profissões que dão direito ao adicional de periculosidade são:

  • Trabalhadores na indústria de combustíveis, incluindo os de extração de combustíveis, refinarias, envasamento, venda inclusive em posto de gasolina e transporte;
  • Trabalhadores em empresas de explosivo, com transporte, armazenamento ou detonação;
  • Trabalhadores em usinas nucleares e técnicos de raio X;
  • Seguranças, vigilantes e transportadores de valores;
  • Trabalhadores que fazem instalação e manutenção de rede elétrica;
  • Motoboys e entregadores

Posso acumular insalubridade e periculosidade

Dentro da mesma função e jornada de trabalho, não é possível acumular os dois adicionais.

Existem diversas ações que tramitaram na justiça com intenção de acumular os dois adicionais. Contudo, em 2016 o Tribunal Superior do Trabalho definiu que não existe embasamento legal para o recebimento de ambos os benefícios.

Nos casos de atividades que são tanto insalubres quanto perigosas (como a dos eletricitários por exemplo), o trabalhador deve optar pelo adicional mais vantajoso.

Como o percentual de adicional de periculosidade é de 30%, enquanto o de insalubridade varia entre 10 a 40% dependendo da atividade, cada caso deve ser avaliado pelo trabalhador.

Como comprovar a insalubridade e periculosidade

Para comprovar a exposição aos riscos no trabalho, são necessários documentos específicos sobre as condições da atividade que o trabalhador exercia.

Principalmente para fins de aposentadoria especial, são indispensáveis o Laudo Técnico de Condições Ambientais – LTCAT e o Perfil Psicográfico Profissional – PPP.

Ambos os documentos são de emissão obrigatória para as empresas que possuam riscos de trabalho identificados que ensejem direito a aposentadoria especial.

1.       Laudo Técnico de Condições Ambientais – LTCAT

O LTCAT é um documento da empresa sobre as condições de uma determinada posição. Para saber mais sobre o LTCAT, clique no link.

Logo, se a empresa possui, por exemplo, uma vaga de técnico de laboratório químico, o LTCAT é feito para descrever os riscos dessa função.

Todas as pessoas que trabalharem nessa função dentro da empresa estarão expostos ao mesmo risco.

2.      Psicográfico Profissional – PPP

Já o PPP é um documento individualizado, específico para cada profissional dentro da empresa.

Caso um trabalhador desempenhe uma atividade que o coloque em risco, por exemplo com exposição a ruídos acima de 85 decibéis, essa condição deve ser detalhada no PPP.

A empresa que tem trabalho em exposição deverá providenciar o PPP para cada trabalhador. Clique aqui e saiba mais sobre o PPP;

Conclusão

Como vimos, a legislação determina com bastante exatidão quais profissões tem direito a insalubridade e periculosidade.

Apesar disso, muitas atividades que não estão nesse rol também são altamente prejudiciais à saúde do trabalhador, e por isso existem muitas ações judiciais nesse sentido.

Caso você acredite que sua atividade é insalubre ou perigosa, mas não esteja nas listas das NR15 e NR16, procure ajuda de um advogado especializado no assunto.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência de navegação. AceitarMais Informações