População Idosa no Brasil: índice atual e futuro

Veja qual é o percentual hoje da população de idosos no Brasil e os desafios para o futuro

0

A concessão de benefícios previdenciários no Brasil pelo INSS concentra-se na maior parte para pagamento de aposentadorias dos trabalhadores, além da assistência social aos idosos que não trabalharam formalmente.

Por conta disso, o aumento da população idosa no Brasil é um fator extremamente crítico para a continuidade da prestação desses serviços pelo INSS, o que levou o governo federal a instituir a reforma da previdência.

Veja agora os detalhes sobre este tema tão crítico para o Brasil.

O problema previdenciário no Brasil

Como sabemos, a previdência social é destinada ao pagamento de vários benefícios sociais, como aposentadorias e pensões. Por conta desta característica, a maior parte do valor é destinado aos idosos.

Na distribuição dos valores gastos com previdência no Brasil, as aposentadorias por tempo de contribuição e por idade somam 56,6% dos valores, ou seja, mais da metade do valor arrecadado é para pagar aposentadorias.

Como o número de pessoas idosas sobe a cada ano, em comparação ao número de pessoas que estão trabalhando e contribuindo, a previdência social do Brasil está em déficit.

Isso significa que hoje o INSS paga mais aos aposentados do que consegue arrecadar. Com isso, é necessário reavaliar o formato do sistema de contribuições, para garantir que quem trabalha hoje poderá se aposentador no futuro.

População idosa no Brasil

A população idosa no Brasil hoje

Segundo o estatuto do idoso, é considerado idoso a pessoa maior de 60 anos.

Segundo a última pesquisa do IBGE, publicada em 2018, em 2017 o Brasil já contava com 30,2 milhões de idosos.

Entre 2012 e 2017, o Brasil ganhou 4,8 milhões de idosos a mais, um crescimento de 18% no número de pessoas acima de 60 anos.

Neste grupo, a maioria são mulheres, 56% dos idosos. Todos os estados do Brasil viram um aumento no número de idosos, sendo que o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul possuem a maior proporção de idosos, 18,6% da população.

O Amapá é o estado com menor número de idosos, 7,2% da população.

O que gera o aumento do número de idosos

O aumento gradual do número de idosos é uma condição comum nos países desenvolvidos. Quanto mais o país melhora e prospera, maior o número de idosos.

Entre os principais fatores de aumento do número de pessoas idosas no Brasil, podemos destacar a melhoria das condições de saúde e saneamento básico, que aumentam a expectativa de vida média.

Além disso, numa sociedade desenvolvida, as mulheres participam mais ativamente do mercado de trabalho. Por conta desta “ausência” do lar, o número de crianças que nascem tende a cair.

Além do trabalho fora da mulher, o número de filhos por casal tende a diminuir a medida que o nível de escolaridade sobe.

Assim, o número de idosos cresce, o de crianças e jovens cai, e a previdência social pode ficar defasada.

A população idosa do Brasil no futuro

Como o Brasil está melhorando continuamente, a expectativa é que cada vez mais o número de idosos cresça, enquanto o número de crianças diminua.

A expectativa do IBGE é que até 2024 o número de idosos dobre, e em 2060 o percentual de idosos será de 25,5%. Isso significa que 1 em cada 4 brasileiros será idoso.

Segundo a pesquisa, já em 2034 o Brasil vai alcançar 15% de idosos no total da população. Em 2039 o número de idosos vai superar o de crianças e adolescentes até 14 anos.

A parcela da população com até 14 anos que hoje representa 21,3% será de 14,7% em 2060.

A idade média do brasileiro hoje é de 32,6 anos. Em 2037, essa média será maior do que 40 anos, e em 2060 a média será de 45,6 anos.

A queda da taxa de fecundidade no Brasil

Outro fator que impacta no percentual crescente de população idosa no pais é a baixa na taxa de fecundidade.

O número de filhos por mulher hoje é de 1,77, e em 2060 deverá chegar a 1,66.

População Idosa no Brasil
As estimativas são de crescimento cada vez maior da população idosa no Brasil nos próximos anos

O valor dos benefícios da previdência

Outra questão que tem sido discutida no mundo por conta do aumento da idade da população é o valor das aposentadorias.

No Brasil, a maior parte dos aposentados recebe apenas um salário mínimo. 2 em cada 3 brasileiros recebe 998 reais por mês de benefício.

Apesar disso, dependendo da contribuição ao longo da vida, um aposentado pode chegar a receber o teto do INSS, de quase 5800 reais.

Em outros países, o valor da aposentadoria é diferente e raramente existem benefícios integrais:

  • No Reino Unido, o aposentado recebe 21% do seu salário;
  • No Japão, o aposentado recebe 40% do seu salário;
  • No Suécia, o aposentado recebe 56% do seu salário.
Veja como funciona a Previdência nos EUA
Veja como funciona a Previdência no Japão

O aumento da idade mínima para se aposentar

Se por um lado a mudança do valor dos benefícios ajuda a conter o rombo da previdência, outra forma importante de manter o sistema saudável é aumentar a idade mínima para se aposentar.

A proposta de reforma do Brasil prevê que a idade mínima para se aposentar será de 62 anos para mulheres e 65 para os homens. Na maioria dos países do mundo a idade é igual para ambos os sexos.

Como a população está vivendo cada vez mais, espera-se que eles se mantenham no trabalho por mais tempo.

Para que isso ocorra, porém, será necessário investir cada vez mais em políticas para integração das pessoas acima de 45 anos nas empresas, já que hoje a recolocação desses profissionais é extremamente difícil.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência de navegação. AceitarMais Informações