Educação Previdenciária de Qualidade

Revisão da Aposentadoria Por Invalidez e Auxílo Doença

Como vai funcionar o Pente Fino do INSS

O INSS deu início à Revisão da Aposentadoria por Invalidez. A Medida Provisória 739/16, em análise pelo Congresso Nacional, prevê a revisão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez que tenham sido concedidos há mais de dois anos.

Esta medida provisória vai mexer com muita gente que recebe aposentadoria por invalidez a auxílio-doença, tenham sido eles concedidos pelo próprio INSS ou pela Justiça.  

O Custo anual do governo com os benefícios por incapacidade é de R$ 6,3 bilhões; já a despesa com auxílio-doença atingiu R$ 23,2 bilhões em 2015, quase o dobro do gasto em 2005 (R$ 12,5 bilhões).

Para garantir a revisão, o texto cria um bônus salarial de R$ 60 para peritos médicos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por cada perícia a mais feita, tendo como referência a capacidade operacional do profissional.

De acordo com o governo, o valor do bônus foi decidido a partir do que é pago aos médicos credenciados por operadoras de plano de saúde (entre R$ 50 e R$ 100). 

O objetivo, ressalta o governo, é reduzir o estoque de benefícios por incapacidade que estão há mais de dois anos sem passar por perícia médica. A estimativa do Executivo é que metade dos 2.100 médicos peritos estejam dispostos a receber o bônus.

 Assim, com quatro perícias a mais por dia trabalhado, o governo espera desembolsar R$ 127 milhões até o meio de 2018, prazo final de vigência do bônus. Como o custo anual dos benefícios por incapacidade do governo é de R$ 6,3 bilhões, a medida deve ajudar a economizar recursos. Ou seja, é algo matemático.

 
Logicamente que as pessoas que estão em benefício (encostadas pelo INSS) estão com medo, afinal de contas, a grande maioria dessas pessoas dependem do salário pago pelo INSS para sobreviver. Oinício da revisão da aposentadoria por invalidez deixou muita gente preocupada.
Se você tem mais de 60 anos e está aposentado por invalidez não precisa se preocupar, pois a Lei veda a realização de novas perícias neste caso. Se tem menos de 60 anos então é bom tomar alguns cuidados e seguir algumas dicas que vamos dar ao longo deste artigo. 
 

Auxílio-doença

 
A despesa do governo federal com auxílio-doença atingiu R$ 23,2 bilhões em 2015, quase o dobro do gasto em 2005 (R$ 12,5 bilhões). Do total de 1,6 milhão de beneficiários, cerca de metade (839 mil) estão recebendo o auxílio há mais de dois anos. 
Segundo a Instrução Normativa Nº 77/2015, do Instituto Nacional do Seguro Social, a perícia médica deverá rever o benefício de aposentadoria por invalidez a cada dois anos. As irregularidades desses benefícios foram confirmadas por auditorias do Ministério da Transparência e do Tribunal de Contas da União.
 

Como vai ser a Revisão da Aposentadoria por Invalidez

 
Com relação  a revisão da aposentadoria por invalidez, as despesas do governo federal quase triplicaram na última década, passando de R$ 15,2 bilhões em 2005 para R$ 44,5 bilhões em 2015 (292,7% de crescimento).
No mesmo período, a quantidade de beneficiários subiu 17,4%, passou de 2,9 milhões em 2005 para 3,4 milhões em 2015. De acordo com o governo, mais de 93% dos aposentados por invalidez têm o benefício há mais de dois anos.
 

Carência

 

A proposta altera a Lei de Benefícios da Previdência Social (8.213/91) para dificultar o acesso ao auxílio-doença, à aposentadoria por invalidez e de salário-maternidade para o trabalhador que tenha deixado de ser segurado, em caso como o de demissão.

 Dessa forma, quando voltar a ser filiado à Previdência, o trabalhador terá carência de 12 contribuições mensais para receber auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, e 10 contribuições, no caso de licença-maternidade.

Atualmente, a lei não estabelece carência desses benefícios para quem retorna a ser segurado. A medida permite o governo convocar o aposentado por invalidez ou beneficiário por auxílio-doença a qualquer momento para avaliar se o benefício ainda deve ser concedido.

 O texto prevê que o médico fixe, sempre que possível, prazo estimado para duração do auxílio-doença. Se não houver prazo fixo, o benefício cessará em 120 dias contado da data de concessão.

Revisão Aposentadoria Por Invalidez
Revisão Aposentadoria Por Invalidez

O que fazer

Os segurados que recebem o auxílio-doença há mais de dois anos e a aposentadoria por invalidez devem ficar atentos para o início da revisão dos benefícios, que deverá começar em setembro.

De acordo com especialistas, os trabalhadores devem manter em dia relatórios e exames, para aumentar a possibilidade de manter os benefícios.

 O segurado que se encaixa nas regras de convocação do governo para o pente-fino precisa ficar atento e manter em dias os laudos que comprovem a incapacidade para o trabalho.

Seria até mesmo interessante ter dois laudos, realizados por diferentes profissionais, atestando a doença e a incapacidade do segurado para o trabalho.

Com previsão para começar na 1ª quinzena de setembro, o pente-fino nos auxílios dará tempo para que os segurados fiquem em dia com laudos, exames e documentação.

Não existe uma regra que obrigue a análise de laudos e exames por parte dos peritos do INSS. Porém, é praxe dos peritos usarem os exames e relatórios de outros médicos para atestarem a capacidade laboral do trabalhador no momento da reavaliação.

Muitas doenças como a bipolaridade, depressão e síndrome do pânico são reavaliadas constantemente, como rotina, por psiquiatras. Desta maneira, o segurado deve se precaver e manter todos os laudos para o momento da revisão.

De acordo com especialistas, caso o segurado discorde da perícia realizada pelo INSS, e tenha como provar que está efetivamente incapaz para o trabalho, ele pode tentar o êxito na manutenção ou concessão do benefício através de recurso administrativo ou até mesmo judicial, caso seja necessário.

Outra questão muito importante é manter o seu endereço atualizado no INSS para evitar que alguma carta de convocação não seja entregue, o que pode ocasionar a suspesão do benefício.

Ordem de chamada  Perícias de Revisão Aposentadoria Por Invalidez

De acordo com a portaria 127/2016, o agendamento e a convocação para a revisão de auxílio-doença devem seguir os seguintes critérios:

  • benefícios concedidos sem a determinação da data de encerramento ou sem data de comprovação da incapacidade;
  • tempo de manutenção do benefício, do maior para o menor. Ou seja, serão chamados primeiramente aqueles que recebem o auxílio há mais tempo;
  • idade do segurado, da menor para a maior. Assim, os mais jovens deverão ser agendados e convocados primeiro.

Já no caso das aposentadorias por invalidez, a ordem de prioridade seguirá os parâmetros abaixo:

  • idade do segurado, da menor para a maior. Os mais jovens convocados antes;
  • tempo de manutenção do benefício, do maior para o menor. Aposentados que recebem benefício há mais tempo serão convocados antes dos demais.

A portaria estabelece, também, que o agendamento e a convocação dos segurados que recebem auxílio-doença terão prioridade sobre o agendamento e a convocação daqueles que recebem aposentadoria por invalidez.

Vamos estar constantemente acompanhando as novidades sobre esse pente fino realizado pelo governo nos benefícios por incapacidade e publicando aqui no Blog.

A ordem é manter a tranquilidade e saber que sempre existem meios e formas de se recorrer das decisões proferidas pelo INSS. É só ficarem atentos.

Este Blog manterá atualização constante sobre todos os procedimentos realizados pelo INSS e estaremos sempre disponível para tirar dúvidas sobre o processo de revisão, que vai impactar na vida de muitos cidadão brasileiros.

Desde já, se algum leitor tiver alguma dúvida sobre esse processo de revisão, poderá deixar um comentário abaixo.

Veja também:

Como dar Entrada no Auxílio Reclusão

INSS Florianópolis – Telefone e Endereço

INSS Jundiaí – Telefone e Endereço

INSS Caxias do Sul – Telefone e endereço

você pode gostar também
65 Comentários
  1. Cinthya Diz

    Quem completa 60 anos em novembro desse ano está fora da revisão da aposentadoria por invalidez?

    1. benjamin Diz

      Cinthya,

      Fora não está, pois enquanto não fizer os 60 anos o benefício estará sujeito à perícia revisional. Entretanto, como um dos critérios para convocação é começar dos mais novos em termos de idade e a quantidade de pessoas para fazer a revisão é imensa, então dificilmente quem faz 60 anos em novembro vai ser chamado. Mas de qualquer forma, a possibilidade existe, então é bom deixar os exames / laudos médicos em dia.

  2. Cinthya Diz

    Isso é um absurdo

  3. maria Diz

    recebo beneficio por invalidez desde ano 2000, com registro em carteira em aberto,oque fazer se precisar voltar na empresa depois de tanto tempo afastada?
    tenho 55 anos.

    1. benjamin Diz

      Maria,

      Não entendi a sua pergunta. Poderia reformular?

  4. maria Diz

    se alguem tem o auxilio doença cessado, e faz pedido de prorrogaçao e e indeferido , o tempo de espera que foi de trinta dias è pago pelo inss? nesses 30 dias de espera para fazer a pericia tinha que ter trabalhado ou aguardado em casa? obrigado por me esclarecer.

    1. benjamin Diz

      Maria,

      O período em que o segurado está aguardando o Pedido de Prorrogação é pago pelo INSS. É a chamada cessação administrativa. Ou seja, o segurado já estava em condições de retornar ao trabalho, mas por conta da demora na perícia o pedido de prorrogação só foi analisado posteriormente. Assim, o segurado não pode ser prejudicado.

  5. maria Diz

    reformulando a pergunta; afastada por invalidez previdenciaria desde ano 2000, a empresa onde trabalhava nao deu baixa em carteira profissional, se fizer revisão e precisar voltar ao trabalho depois desse tempo,tenho como entrar com algum recurso, tenho 55 anos e os problemas com saude continuam os mesmos, obrigado por me responder.

    1. benjamin Diz

      Maria,

      Caso você seja considerada apta ao trabalho, o INSS lhe oferecerá prazo de recurso. Você também poderá recorrer à justiça. É o direito à ampla defesa e ao contraditório, garantido pela Constituição Federal.

  6. Shirlei Simões Diz

    Meu beneficio foi cortado.e eu comprovei q tenho uma doença crônica. Ou seja tenho artrite na coluna .a cartilagem gastou.estou perdendo os movimentos.meu médico afirmou se eu voltar ao trabalho voy fica em uma cafeira de roda.minhas dores são frequentes.no meu caso nem fisioterapia resolve e tão pouco cerurgia.estou desesperada.pois não tenho renda nenhuma …

    1. benjamin Diz

      Shirley,

      Não sse desespere. Procure um advogado da área previdenciária e recorra na Justiça Federal.

  7. Carlos Diz

    Excelentes esclarecimentos.

  8. Bruna Diz

    Minha mãe tem 53 anos é recebe auxilio doença, ela tem depressão e toma remédios muito fortes, ela tem o beneficio desde 2005, acha que ela pode chamada? Ou Pior, ter o beneficio suspenso?

    1. benjamin Diz

      Bruna,

      Infelizmente isso pode acontecer sim, pois a o benefício de Auxílio doença, por sua própria natureza, é temporário. Mas poderá acontecer também de o mesmo ser transformado em uma aposentadoria por invalidez e ter uma certeza maior de continuidade. De qualquer forma, esses benefícios por incapacidade são temporários e dependem da permanência da incapacidade para se manterem ativos. Mas não é motivo para desespero. O import ante é que mantenham os examentes/ laudos / tratamento em dia e o endereço atualizado no INSS. Caso alguma revisão seja realizada e o benefício suspenso, isso poderá ser questionado rapidamente na Justiça.

  9. Marley Pacheco Diz

    Olá, recebo auxílio doença do inss por causa que tenho epilepsia do lobo temporal cerca de 4 anos, em fevereiro de 2017 tenho que marca uma nova pericia e ser avaliada pelo perito novamente, pois o inss me deu uma concessão de até março de 2017. Com essa nova regra eu estou com medo de o inss me mandar de volta para meu trabalho e, eu sei que meu trabalho no máximo se ficar comigo é os 6 meses, pois ele já não me queriam lá por causa das minhas crises em vez em quando eu tenho, tomo remédio todos os dia. Meu médico disse que vou fazer os exames de novo em janeiro de 2017 e um laudo médico para eu levar para o perito do inss. Por favor me dê sua opinião sobre meu caso, tenho só 40 anos, só contribuir para o inss por 11 anos. Obrigada!

    1. benjamin Diz

      Marley

      Espere a perícia. Caso seja negado, procure um advogado da área previdenciária e entre com uma ação na Justiça Federal.

  10. JOSELMA BEZERRA BAZANTE Diz

    Meu beneficio foi indeferido e entrei com recurso que foi marcado para mÊs de maio de 2016. Nesse tempo o que fazer? Esperar ou entrar na justica federal?

    1. benjamin Diz

      Joselma

      O recurso administrativo dificilmente é provido. Suas chances são bem maiores na Justiça Federal. Procure um advogado.

      1. JOSELMA BEZERRA BAZANTE Diz

        Ok. Obrigada.

  11. Amanda Diz

    Minha mãe tem 52 anos e é aposentada por invalidez com conssencao do juiz e do promotor e já tem 5 anos.será que ela vai ser chamada pelo INSS?

    1. benjamin Diz

      Amanda

      Até completar os 60 anos de idade ela poderá ser chamada para revisão. Se comprovar que continua inválida, não tem problema, poderá continuar recebendo o benefício. Caso contrário o mesmo poderá ser suspenso.

  12. Max Antônio Ferreira Diz

    Max Antônio Ferreira,
    Tive o meu benefício de auxilio doença cancelado em 15/12/2016 sem que eu tivesse recebido qualquer comunicação ou convocação do INSS. No dia 10/01/2017 fui entrar com um pedido de nova perícia, o sistema não aceitou. Fui ao INSS para recorrer e fui agendado para entrar com o recurso somente em 27 de março de 2017. O que fazer?

    1. benjamin Diz

      Max

      Marque uma nova perícia. No dia 10 não deu certo porque ainda não tinha os 30 dias que outro havia sido cessado. Agora vai dar certo. Não espere muito do recurso que quase sempre vem negado.

  13. Zevit Moreira da t Diz

    Sou aposentado por invalidez Sou paraplégico Devido o acidente de trabalho A 14 anos que sou aposentado Eu vou ter que fase perícias Tenho 54 anos

    1. benjamin Diz

      Zevit

      Até os 60, caso seja convocado, vai ter sim que passar por perícia.

  14. Vania Souza e Silva Diz

    Vou fazer 53 anos e sou aposentada por invalidez, desde 1990. Nunca fiz revisão de perícia. Tenho duas perguntas: 1. Posso ser uma das primeiras a ser chamada para revisão, tendo em vista que sou aposentada há muito tempo? 2. Em caso de cessação da minha aposentadoria, eu paro de receber de imediato???’Estou fora fo mercado de trabalho há muito tempo e com esta crise que o pais está eebfrentando, com falta de empregos, com milhares de de desempregados e inclusive pessoas muito jovens, que também não conseguem se colocar no mercado de trabalho….estou muito. Preocupada, porque a concorrência será desleal…e não falo apenas por mim, mas por milhares de pessoas na mesma condição que a minha…só de pensar, já bate em desespero.

    1. benjamin Diz

      Vânia

      A regra é convocar as pessoas mais novas e os benefícios mais novos. Não se pode dizer se você vai ser uma das primeiras. Neste momento não temos certeza nem mesmo se o INSS vai dar conta de revisar todos os beneficios. Isso vai depender da disponibilidade de peritos da cidade. De qualquer forma, mantenha os exames em dia e caso seu benefício seja cessado, você poderá recorrer na Justiça. Outra questão é que o INSS não poderá cessar o seu benefício de imediato. Você continuará recebendo por alguns meses e depois ele vai diminuir o valor até cessar. Até lá você poderá pensar RN alguma coisa. Portanto mantenha a calma e fique tranquila.

  15. Realizei a pericia com auxilio doença no relatório medico constando orteartrose no quadril e joelhos.Onde a pericia foi negada. Pedindo para entrar no interposto Recurso à Junta do Recursos da Previdência Social
    Gostaria de um conselho. Não seria melhor eu entrar com uma ação?

    1. benjamin Diz

      Sandra,
      Uma ação judicial é mais rápida e eficaz para esses casos. Procure um bom advogado e vá pela justiça, recurso é perda de tempo para auxílio doença.

  16. Em 07/02/2017 tive meu beneficio de auxilio doença cancelado, na carta pede para recorrer o recurso à junta da previdência social. Porém,em Abril completo 60 anos
    Se eu recorrer em ação judicial terei direitos?

    1. benjamin Diz

      Sandra,

      Não posso dizer que você terá direito, isso quem vai dizer é a Justiça Federal. O que posso lhe dizer é que no judiciário suas chances são bem maiores, pois a perícia é realizada por um perito neutro.

      1. Obrigada, pela atenção!

  17. Indiara Diz

    Pelo amor de Deus preciso de uma informação. Estou recebendo auxilio doença pela justiça federal. Fui convocado para perícia ontem 20/02 a médica avaliou tudo e me examinou e no final me disse para esperar a carta em 30 dias em casa. Ai hoje liguei no 135 e me disse que o benefício cessou ontem. O que sera que vai acontecer????

    1. benjamin Diz

      Indiara

      Sugiro que você procure o seu advogado.

  18. ANTONIO SILVA Diz

    RECEBO AUXILIO DOENÇA ATRAVEZ DE UMA LIMINAR DO JUIZ A 6 ANOS E TENHO 62 ANOS DE IDADE, SEREI CONVOCADO PARA O PENTE FINO?
    OBRIGADO

    1. benjamin Diz

      Antônio

      Você poderá ser convocado sim, portanto mantenha os exames em dia. Os únicos que estão livres são os aposentados por invalidez com mais de 60 anos. No seu caso, como é auxílio doença, poderá ser chamado.

  19. Michelle Ignez Diz

    Estava em auxílio doença desde 11/12/2012 foi cessado agora dia 28/02/2017.o problema é que minha perícia estava agendada com o pedido de prorrogação para o dia 07/03/2017 as 17:40 eu me confundi com as datas e compareci na agência no dia 17/03/2017 as 7:40.
    O problema é que agora perdi meu benefício foi indefirido por não comparecer. Agora vou ter q dá entrada novamente com outro requerimento. O problema que agora eu perdi esse mês de assegurado. Tem alguma coisa que eu possa fazer?
    Já que o Pedido de reconsideração foi cancelado pelo INSS

    1. benjamin Diz

      Michele

      Infelizmente nada poderá ser feito. Apenas máxima atenção com as proximas datas para não ficar no prejuízo.

  20. Joao Diz

    Sou aposentado por invalidez a 14 anos me aposentei em 2003 era motorista de ônibus CNH D, logo após a aposentadoria o INSS tirou a D pela B minha carteira de trabalho dá empresa está com registro do carimbo do INSS
    Passo ainda com pisciquiatra mesmo assim. Vou fazer revisão e volto a trabalhar só de pensar fico com os nervos a flor dá pele obrigado meu nome é João

  21. Luziomar Lopes da Silva Oliveira Diz

    Estava com auxilio doença ha 4 anos meu pedido de prorrogação foi negado em04/04/2017.
    Fiz um pedido de revisão o qual foi marcado para 26 de julho de 2017
    continuo a receber ate la ou não

    1. benjamin Diz

      Luziomar

      Infelizmente não. O benefício foi finalizado. Acho que revisão não seria o mais indicado para o seu caso. Poderia entrar com recurso ou aguardar 30 dias da data de cessação e dar entrada em um novo pedido.

  22. rosangela muniz Diz

    boa noite tenho 9 meses de registro e fiquei doente por motivo artrose lombar e tive a pericia no dia 23/03/2017 e foi indeferido porque tenho só 9 meses de contribuição ,gostaria de saber se eu tenho que pagar o inss até completar os 12 meses para ter o direito.
    obs: não tenho como pagar porque tem que fazer o calculo pelo valor do salario minimo e fica $187,00 não tenho como pagar o que devo fazer para ter direito ,pois sinto muitas dores não tenho condições de trabalhar já estou 2 meses afastada obrigada pela atenção

    1. benjamin Diz

      Rosangela

      Infelizmente sem pagamento você não poderá receber os benefícios do INSS.

  23. Max Antônio Ferreira Diz

    Benjamin, agradeço pela resposta, mas se eu agendar nova perícia, vai começar um novo benefício. O que na verdade eu pretendo é restabelecer o benefício em que me encontrava ja há mais de 6 anos consecutivos. Se houver demora no recurso acha melhor entrar na Justiça?
    desde já obrigado!

    1. benjamin Diz

      Max

      De qualquer forma, nos casos específicos de auxílio doença e aposentadoria por invalidez, a justiça federal tem se mostrado mais justa e favorável ao segurado do que o recurso administrativo, mesmo que demore mais. Essa demora vai depender da região. Assim, sempre sugiro nesses casos a via judicial para quem teve ou acha que teve o seu direito cerceado pelo INSS.

  24. Michael Diz

    fiz uma perícia no inss e me concederam 3 meses D auxílio doença, e tinha outra perícia no termino desses 3 meses, essa segunda perícia foi um dia após meu primeiro dia D fisioterapia, quando cheguei para segunda perícia onde a perita me liberou para retornar às minha atividades normais.
    Posso ser liberado antes mesmo D iniciar minha fisioterapia?

    1. benjamin Diz

      Michel

      Pode sim. Se o médico perito assim decidir. Caso você não concorde, poderá interpor recurso.

  25. bom dia estou recebendo auxilio desde de dezembro de 2016,vou receber até dezembro de 2018,e oque eu faço para agendar em dezembro ,eu recebi pela ajustiça,eu vou fazer alguma pericia? eu tenho como virar aposentadoria por envalidez?

    1. benjamin Diz

      Joana

      Só o seu advogado pra lhe dar essas informações. De uma forma em geral, você deverá aguardar a convocação do INSS.

  26. Adriana Rocha Diz

    Será que poderia me esclarecer? Entrei com recurso a quase um ano, e teve uma votação dia 08/08. Que diz assim:

    Assim, mediante os dispositivos legais mencionados, e à vista do Laudo técnico pericial emitido pela ATM, concluo que
    restou comprovada a incapacidade laborativa alegada pela recorrente.
    Pelo exposto, assiste razão ao segurado, devendo ser reformada a decisão do INSS

    1. benjamin Diz

      Adriana

      Seu benefício foi aprovado. Agora é aguardar a implantação pelo INSS.

  27. mariza assis Diz

    estou afastada com auxililo doença ha 11 anos. desde 2006. em 2009 deram me alta, mas o medico do trabalho nao permitiu o meu retorno. nesse periodo, tive clise de depressao, procurei medico e relatou que estava com transtorno afetivo (BIPOLAR) SEGUIDO DE depressao. recorri a justiça federal e ganhei, sem fazer pericia. ou seja o primeiro auxilio era tendinite aguda ,com coluna. ja com recurso pela federa,foi psiquiatria.faço tratamento desde 2009, mudei de medico pois o anterior era particular, estou ainda em tratamento tomo 5 tipos de remedios, ancioliticos e depressivos. sinto uma insonia insuportavel que so e combatida atraves da medicação.eu mesma perguntei ao meu medico para me dar alta, ele disse que não.Que meu tratamento é por tempo inderteminado. ja percebi que se não tomo a medicação, tenho crise, em todos os aspectos, ele mesmo ja presenciou.Não sou louca, nem taopouco debil mental, mais sinto que é nescessário o uso continuo da medicação, ele ( medico atestou) atraves de laudos. acontece que: fiz uma pericia de revisao em abril, no inss, e cortaram o meu beneficio. entrei com advogado pela justiça federal, e tudo indica que me foi negado, advogada esta esperando a sentença do juiz para entrar com recurso. uma coisa é certa, nao tenho condiçoes de retornar ao trabalho, sou motorista de onibus, e aida por cima estou com o pe quebrado, pois nao tenho firmesa na perna esquerda devido a artrose comprovada por rx. O que mais me revoltou, é que levei todos os exames inclusive rx do pé, pois eles pensam que tudo e armação, laudo recente do psiquiatra atestando que o meu caso tem recaidas e que não posso deixar de tomar os remedios; ele nao olhou nada, so o que estava no sistema.quero saber o seguinte: se eu voltar a trabalhar, sou motorista de onibus,não posso deixar de tomar os remedios, pois como disse do contrario tenho crise; ainda estou em tratamento, e as crise que sinto são:lapso de memoria,ansiedade, medo, agressividade,e ate mesmo pensamentos suicidas. O perito federal, disse-me que pelo tempo eu ja tinha que ter melhoras. Sera que, eu consegui enganar dois psiquiatras e um perito federal? Nao tenho medo do trabalho, amo minha profissão, mais e se algo der errado, quem sera o responsavel? tenho 52 anos.

    1. benjamin Diz

      Mariza,

      Como você mesma colocou em seu texto, todas as tentivas foram realizadas. Não entendi a sua pergunta. Dar errado em que sentido? Se a própria justiça Federal lhe considerou apta a voltar ao trabalho, acredito que você deva fazer um esforço para retomar as suas atividades.

  28. Maria Alves Diz

    Fiz a perícia revisional do meu auxílio doença. Meu auxílio doença foi cancelado. Pretendo recorrer. Gostaria de saber se, quando eu recorrer dentro do prazo estabelecido, continuarei recebendo o auxílio doença até a data da nova perícia???

    Preciso muito dessa resposta.
    grata desde já!

    1. benjamin Diz

      Maria,
      O benefício é suspenso após a decisão do INSS e mesmo que você entre com recurso, não haverá pagamento. Caso no final o seu direito seja reconhecido no recurso o INSS paga o atrasado depois. Mas infelizmente você não fica recebendo não.

      1. Maria Alves Diz

        Muito obrigada pela gentileza! Você é hábil e atencioso com as pessoas que estão aflitas e precisam muito de uma resposta! Que Jesus abençoe!

        1. benjamin Diz

          Obrigado !

  29. Ana Diz

    Boa noite doutor Benjamim,
    Meu beneficio foi cessado após 3 meses que comecei receber e me encontro incapacitada para o trabalho, pois tenho fortes dores nas articulações, coluna ombros e cervical. tenho problemas de hernia de disco, artroz, espondilite e fibromialgia, onde tenho crises de dores. O INSS cessou meu beneficio e gostaria de saber como eu comecei a contribuir agora, eu volto a receber meu beneficio novamente e se quando eu fizer 60 anos se estiver contribuindo tenho direito a aposentadoria e se meu beneficio volta?

    1. benjamin Diz

      Ana,
      Infelizmente não tenho como lhe responder. Cada caso é um caso, depende de tempo de contribuição, depende da decisão da perícia, etc. Portanto, dúvidas de casos concretos como o seu só podem ser respondidas pelo próprio INSS ou por um advogado previdenciário devidamente qualificado. Aqui neste blog nos limitamos a responder sobre dúvidas genéricas em relação às leis.

  30. DEVANY ROMANO BORGES Diz

    Boa tarde eu tenho 51 anos sou professora auxiliar de Educação infantil sou portadora de fibromialgia depressão com fortes dores corporais redução nos espaços articulares dos dois joelhos ,Osteoporose ,pré-diabética hipotireoidismo altíssimo .passei pela pericia em maio de 2017 fiquei de licença até agosto 2017 quando foi cessado o meu benefício .Retornei ao trabalho mas em semtembro mês seguinte desse mesmo ano passei mal novamente e não consegui trabalhar devido ter entrevado e a dor aumentada com crises de depressão e ansiedade a psiquiatra me deu um atestado de 90 dias a reumatologista e o endócrino fizeram relatórios detalhados do meu estado de saúde ,os quais encaminhei para o recurso junto a junta médica e agendei uma perícia para o dia 19/10 deste mês será que tenho chances? ou será que tenho que procurar um advogado .Boa tarde!

    1. benjamin Diz

      Devany,

      Faça a perícia que está marcada e caso seja negada, procure um advogado da área previdenciária e entre pela Justiça.

  31. PEDRO PAULO Diz

    Boa tarde ;Dês de 15/08/2014 estou com auxilio doença invalides permanente comprovada e pedido pelo meus me dico com laudos e exames sempre atualizados tenho 50 anos e tempo para aposentadoria especial com LT CADE PPP ATUALIZADOS ;E o meu beneficio não tem dada devi nida
    para cessar eles já não e para dar minha aposentadoria ou algum comunicado.estou recebendo em dia.como fica essa mudança .e meus direito adquirido

    1. benjamin Diz

      Procure um advogado. Aqui no blog não prestamos ( e nem podemos prestar ) nenhum tipo de assessoria. Também não recomendamos nenhum profissional específico, caberá à você procurar.

  32. Patricia Silva Lopes Diz

    Tenho epilepsia desde 15 anos,muito tratamento más cada vez mais remédio más não conseguem controlara.trabalhei 16 anos só em duas firmas na ultima foi 14 anos e meio,más sem eles sabere que tinha epilepsia senão não conseguiria trabalhar .Em 2012 comecou a gravar cada vez mais minhas convusões são mais dormindo ,más mesmo muito ruim tinha q ir trabalhar,Muito Sofrido más tenho muitas ausências,era a chefe respondia por tudo ,tinha q falando com. clentes,cobrar,pagar etc era assitente de Fectori ,trabalhava como se fosse um banco, não podia errar nada e as ausências cada vez más frequente as meninas q trabalhavam junto me ajudavam me levando p a cozinha .Meu patrão não deixava eu faltar ele não ficava sem eu ,fiquei até. Na UTI e tive q mentir.Mas cheguei a35 kg ai ele falou q precisava de mim ,quando levantei tive uma convulsão na sua frente…Ai ele me mandou embora!!Tentei o inss negavam fui para a justiça é a passei no medico ,ai advogada recebeu a sentença deu aposentadoria por invalides .Agora com esse pente fino a medica nem olhou e cessou voltei para a justiça já fiz a perícia médica bem severa estou aguardando com muito medo pois não tenho más condição de trabalhar com essas ausências os médicos não estão conseguindo parar.Meu corpo doi todo tendinite nas duas mão, quen vai dar um emprego para uma epiletica :Tenho minha filha e minha mãe q e deficiente .fiz alguns consiginados como vou pagar,para comprar remédio pagar o convénio médico estou desesperada, nunca tive restriçao no meu nome…Espero uma orientaçao!!!SOU A MÃE Q ESCREVEU ISSO TUDO E DA MINHA FILHA(VERA)

    1. benjamin Diz

      Patrícia, neste momento só há uma coisa a ser feita: esperar a decisão judicial.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.